domingo, 5 de junho de 2011

Nossa Senhora de Guadalupe

Num sábado,no ano de 1531,a Virgem Santíssima apareceu a um indígena que,caminhava para a cidade do México a fim de participar da catequese e da Santa missa enquanto estava na colina de Tepeyac,perto da capital.Este índio convertido chamava-se Juan Diego ( canonizado pelo Papa João Paulo II em 2002 ).

Conforme a lenda e tradição,no Sábado,9 de dezembro de 1531,pelas seis horas da manhã,quando o índio Juan Diego se dirigia de sua aldeia para a de Tolpetlac para assistir uma missa,ao chegar ao monte Tepeyac,às margens do lago Texcoco,viu uma jovem,que lhe ordenou ir falar com o Bispo a fim de pedir-lhe que contruísse um templo no vale próximo,para a honra e glória de Deus...
No mesmo dia a tarde por volta das 5 horas da tarde,Juan Diego vê novamente a jovem,lhe relata a incredulidade do bispo e pede que escolha outro mensageiro.Porém a jovem insiste em sua missão de ir até o bispo e pedir a construção do templo.
No dia seguinte,Domingo 10 de Dezembro,3 horas da tarde,Juan Diego fala novamente com o bispo,que ainda não acredita e pede algum sinal.Pela terceira vez a jovem "aparece"e ordena a Juan Diego que volte ao monte no dia seguinte para receber o sinal pedido pelo bispo.
Entretanto,no dia seguinte,Juan Diego,não vai ao monte devido a doença de seu tio.Na madrugada do dia 12 de Dezembro,terça-feira,devido a gravidade da doença de seu tio,Juan Diego sai de sua aldeia para buscar um sacerdote,e rodeia o monte para não encontrar a virgem.Porém,mesmo assim ela lhe "aparece",fala que seu tio ficará curado,e pede que vá ao monte buscar rosas que seria o sinal. Ao seu regresso,a virgem diz: Estas diferentes flores são a prova,o sinal que levarás ao bispo. Diga-lhe que veja nelas meu desejo,e com isso,execute minha vontade. Ao mesmo tempo em que Juan Diego encontra a jovem,"aparece"também a seu tio doente,cura instantaneamente suas enfermidades e manifesta seu nome: "Sempre Virgem Santa Maria de Guadalupe".


No dia 12 de dezembro,após a quarta "aparição",Juan Diego leva em seu poncho (manto),como prova rosas frescas de Toledo (e isto em pleno inverno mexicano.Já na casa do bispo,por volta do meio dia,na hora que abriu o poncho onde estavam embrulhadas as flores,estava a imagem :"a Virgem".
O Bispo viu não somente as rosas,mas o milagre da imagem de  Nossa Senhora de Guadalupe,pintada prodigiosamente no manto do humilde indígena.Ele Levou o manto com a imagem da Virgem para a capela,e ali, em meio às lágrimas,pediu perdão a Nossa Senhora.

O grande milagre de Nossa Senhora de Guadalupe é a sua própria imagem. O tecido,feito de cacto,não dura mais de 20 anos e este já dura há mais de quatro séculos e meio.
Durante 16,a tela esteve totalmente desprotegida,sendo que a imagem nunca foi retocada e até hoje os peritos em pintura e química não encontraram na tela nenhum sinal de corrupção.

No ano de 1971,alguns peritos inadevertidamente deixaram cair ácido sobre toda a pintura.Pois nem a força de um ácido tão corrosivo estragou ou manchou a imagem. Com a invenção e amplicação da fotografia descobriu-se que,assim como a figura das pessoas com as quais falamos se reflete em nossos olhos,da mesma forma a figura de Juan Diego,e do Bispo se refletiu e ficou gravada nos olhos do quadro de Nossa Senhora.
Cientistas americanos chegaram à conclusão de que estas figuras estampadas nos olhos de Nossa Senhora não são pinturas,mas imagens gravadas nos olhos de uma pessoa viva.

Coroada em 1875, Nossa Senhora de Guadalupe foi declarada "Padroeira de toda a América"pelo Papa Pio XII a 12 de outubro de 1945.

O anarquista espanhol Luciano Perez,no dia 14 de novembro de 1921 colocou ao lado da imagem um arranjo de flores,dentro do qual havia uma potente bomba.
Ao explodir,tudo que estava perto ficou seriamente danificado.Uma cruz metálica,que ficou dobrada,hoje se encontra no templo como testemunha do poder da bomba.Mas.......... a imagem da Virgem não sofreu dano algum.

No dia 07 de maio de 1979 o prof.Phillip Serna Callahan,biofísico da Universidade da Flórida,junto com especialistas da Nasa,analisou a imagem.Desejavam verificar se a imagem é uma fotografia.Resultou que não é fotografia,pois não há impressao no tecido.Eles fizeram mais de 40 fotografias infravermelhas para verificar como é a pintura. E constataram que a imagem não está colada ao manto,mas se encontra 3 décimos de milímetros distante do manto e verificaram que,ao aproximar os olhos a menos de 10 cm do manto, não se vê a imagem ou as cores dela, mas só as fibras do manto.
A história de sua aparição desafia a ciência moderna.

Nossa Senhora de Guadalupe,rogai por nós!

Texto enviado pelo grupo da América da IAM de Monte Aprazível - Giulia,Guilherme Neves,Guilherme Florean e Juliana

Nenhum comentário:

Postar um comentário